Seca causa a suspensão de água de irrigação


A ausência de chuvas este ano somada ao ano seco em 2012 motivaram na Paraíba o corte no fornecimento de água de três perímetros irrigados para priorizar o abastecimento humano nas cidades. Os projetos de irrigação São Gonçalo, em Sousa; Engenheiro Arcoverde, em Condado e Sumé, na cidade de mesmo nome, não têm como fazer irrigação até a recarga dos açudes que forneciam água para os cultivos.

O coordenador do DNOCS na Paraíba, Solon Alves Diniz, informou que o açude Engenheiro Arcoverde, de 35 milhões de m³, que abastece o município de Condado, está com apenas 21,69% da capacidade. O açude Sumé, fonte de abastecimento do município de mesmo nome, mantem 36,71% da sua capacidade de 44,68 milhões de m³. O açude São Gonçado, que abastece Sousa, conta com apenas 24,65% da sua capacidade de 44,6 milhões de m³.

Solon Diniz aponta como complicada a situação do abastecimento de água em Sousa e Cajazeiras, municípios de 65,8 mil habitantes e 58,4 mil habitantes, respectivamente. O açude Engenheiro Avidos, que atende as duas cidade, com
capacidade de 255 milhões de m³, mantém apenas 15,24% da carga.

Dois outros reservatórios que ele vê como em situação preocupante são os açudes Estevão Marinho (Corema), de 720 milhões de m³, limitado a 38,53% da carga e Mãe D´Água, um açude de 638,7 milhões de m³, que conserva apenas 36,96% da carga. Os dois açude, que são interligados, segundo ele, abastecem 15 cidades na Paraíba e duas no Rio Grande do Norte.

O Perímetro São Gonçalo, o maior do estado, com cerca de 3 mil hectares, perdeu 37% da produção no ano agrícola 2011-2012 e deverá perder ainda mais na safra-2012-2013, relata Solon Alves Diniz. O chefe da Unidade de Campo na Bacia Piranjas, Sebastião Nunes Guimarães, por sua vez, observa que a grande dificuldade hoje no perímetro irrigado São Gonçalo é salvar as plantações. Por isso, quando foi priorizado o abastecimento humano, ficou acertada a liberação de quatro irrigações nos meses de maio a dezembro.

Com irrigantes da Junta de Usuários das Águas do São Gonçalo, a delegação da Paraíba coordenada por Solon Diniz discute nesta sexta-feira com o diretor-geral do DNOCS, Emerson Fernandes, um novo contrato do perímetro irrigado com o Departamento. De acordo com Sebastião Nunes, a pauta inclui ainda o pleito para utilizar a água da transposição da adutora Várzea de Sousa para o açude São Gonçalo, de modo a dar sustentabilidade ao perímetro.

Também participa da reunião nesta sexta-feira o deputado federal Leonardo Gadelha, disse Sebastião Nunes. Segundo ele, a proposta é facilitada porque já existe a infraestrutora de canal, sistema de bombeamento e reservatório. Basta fazer a ligação à adutora. A Estação de Piscicultura Joaquim Firmino Filho, em São Gonçalo, que é abastecida pelo açude Engenheiro Arcoverde, manteve apenas dois dos nove tanques com água para preservar os reprodutores e reprodutizes, informou o chefe da unidade, Francisco Assis de Oliveira.
Compartilhar Google Plus

Autor Tribuna da Imprensa

    Blogger Comentario
    Facebook Comentario

0 comentários:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial